Entenda o funcionamento e as diferenças entre SAT e NFC-e

Luan SantosNota Fiscal, Sem categoria

nfc-e

Todo empreendedor sabe que a emissão de notas fiscais para seus consumidores é uma das partes essenciais para que seu negócio se mantenha na legalidade. No entanto, na hora de emitir esse documento tão importante, é preciso escolher um tipo de sistema. É possível decidir entre ECF, NFC-e e SAT (essa opção é só para empresas no estado de São Paulo). Para facilitar sua escolha, conheça cada sistema:

ECF

A emissora de cupom fiscal (ECF) é um dos sistema possíveis para a emissão de notas. É basicamente uma impressora dedicada a emissão fiscal e que funciona de acordo com o Programa Ativo Fiscal (PAF). Atualmente A ECF está sendo substituída por sistemas informatizados, como o SAT e a NFC-e, que agilizam os trâmites burocráticos e ainda dão mais segurança para as empresas.

SAT ou SAT/CF-e

O Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos (SAT/CF-e) surgiu primeiro. Ele existe desde 2014 e funciona apenas no estado de São Paulo, como uma forma de substituir eletronicamente as antigas emissoras de cupons fiscais (ECF).

O SAT simplifica os trâmites burocráticos e ainda armazena eletronicamente todos as operações do comércio de varejo. Posteriormente, ele também transmite esses documentos para a Secretaria da Fazenda (SEFAZ).

Para realizar tudo isso, ele funciona através de um software homologado à Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e também requer um equipamento para a validação e autenticação do cupom fiscal, que o empreendedor precisará adquirir caso escolha essa forma de emitir suas notas fiscais.

NFC-e

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) também surgiu para substituir a necessidade da ECF, mas possui algumas diferenças com relação ao SAT – Além do fato de funcionar em outros estados além de São Paulo.

Em primeiro lugar, ela nasceu baseada em um sistema existente: o da NF-e modelo 55, que foi modificado para atender às necessidades do varejo. Dessa forma, ela segue uma padronização nacional de documento fiscal eletrônico.

Ela também simplifica os trâmites burocráticos e agiliza o processo fiscal, informatizando-o. No entanto, diferente do SAT, não requer um software homologado com a SEFAZ, nem mesmo um equipamento de validação e autenticação: pode ser usada qualquer impressora não fiscal, não necessitando de autorização da Secretaria da Fazenda.

Ela é um documento emitido e armazenado eletronicamente, por isso não precisa de impressão e o empresário pode emitir notas fiscais até de aparelhos móveis, como tablets e smartphones.

Como escolher um sistema

Para tomar a decisão de qual dos dois sistemas, o empreendedor precisa entender as diferenças entre eles e avaliar qual é mais adequado para seu trabalho.

Em destaque, a ECF já está sendo substituída em grande parte dos estados por envolver processos burocráticos e não permitir a receita o acompanhamento em tempo real, o que causa lentidão e torna a emissão menos prática. O SAT funciona apenas em São Paulo e precisa de um equipamento e de um software homologado junto à SEFAZ. A NFC-e, por outro lado, é a mais moderna, e está em estágio de massificação. É ágil e dispensa tanto o equipamento quanto o software homologado junto à SEFAZ. Além disso, dispensa a impressão de documentos, podendo a nota fiscal ser enviada diretamente por e-mail para o cliente.

Se ainda estiver com dúvida, solicite uma demonstração do Sistema de Gestão Sisagil através do site. Durante a demonstração, os profissionais do sistema podem ainda apresentar a utilidade da NFC-e junto à gestão de sua empresa.

Saiba mais sobre as vantagens da NFC-e no link: O que é a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica?

 

Entenda o funcionamento e as diferenças entre SAT e NFC-e was last modified: maio 21st, 2018 by Luan Santos